Kate Mirson estreou-se agora com “Broken One”, mas o seu talento há muito que tem vindo a ser trabalhado, fruto de uma contagiante determinação que se começou a manifestar muito cedo.

Catarina cresceu em Benavente e o seu interesse pela música já se sentia quando ainda nem tinha completado 10 anos e já se fazia notar em noites de karaoke em que acompanhava os pais: as suas arrebatadas interpretações de alguns clássicos pop valiam-lhe sempre entusiásticos aplausos e palavras de incentivo: “sempre quis ser cantora”, confessa.

Aulas particulares de guitarra aos 11 anos e de piano aos 14 ensinaram-lhe as bases musicais que depois foi ela mesmo desenvolvendo, sempre através de muito trabalho individual, de uma entrega total. Os programas de talento na televisão foram outras rampas para a sua vocação. Foi num desses programas que se cruzou com Adelaide Ferreira – “uma das pessoas que mais admiro”, admite ela – que haveria de aceder a dar-lhe aulas de canto e que também lhe proporcionou a oportunidade de pisar os primeiros palcos: “cantei nalguns concertos da Adelaide Ferreira e isso foi muito importante para mim”, conta Kate. Houve outras influências que lhe foram moldando a voz e a atitude musical: “Christina Aguillera, Jessie J, Kelly Clarkson são todas cantoras que admiro muito. E a Alicia Keys”, revela Kate.

À fluência no piano e às óbvias capacidades vocais, Kate Mirson junta ainda a capacidade de escrever as suas próprias canções – “tenho uma caixinha cheia de letras que fui escrevendo, sempre em inglês. As canções”, explica ainda, “resultam de emoções, de pensamentos. Às vezes não dá para falar com ninguém e prefiro escrever tudo no papel. Muitas destas canções são a minha forma de lidar com as coisas que me vão acontecendo”. Caso óbvio de “Broken One”, o seu “cartão de visita”.

Kate teve uma experiência no programa X-Factor da televisão britânica, que lhe reconheceu o talento fazendo-lhe um convite depois de terem recebido um vídeo caseiro seu. Com o pai ao seu lado, Kate foi para Inglaterra e não esconde que passou algumas privações para seguir o seu sonho. Quando o programa arrancou com a versão portuguesa as regras impediram-na de continuar em Inglaterra, mas no nosso país chegou até ao “boot camp”. Teve também experiência no The Voice, mas percebeu rapidamente que teria que ser com o seu próprio material que teria que vingar.

E Kate Mirson aí está, com “Broken One”. “A Adele disse sempre que os corações partidos dão grandes canções. Ela tem razão em dizer que os desgostos podem dar-nos inspiração. Sei que é verdade porque aconteceu comigo”, explica. Kate Mirson tem 20 anos e uma vida pela frente, uma caixa cheia de canções e um coração cheio de sonhos.

PRESS RELEASE BROKEN ONE

“Broken One” é o cartão de visita de Kate Mirson, uma jovem cantora de 20 anos que agora se apresenta ao mundo em nome próprio.

Natural de Benavente, Kate canta desde que se lembra, aprendeu cedo a tocar guitarra e piano, instrumento que elegeu para se expressar de forma mais séria, e sempre se entregou ao que acredita ser o seu sonho: “sempre quis ser cantora”, admite.

Aulas de voz com Adelaide Ferreira, estrela ao lado de quem pisou vários palcos, e experiências em programas como o X-Factor – em Inglaterra e Portugal – e o The Voice deram-lhe o alento para encontrar a sua própria voz. Um coração partido fez o resto: “se não fosse o que eu ponho de mim nas músicas ficava a acumular todas estas coisas. A verdade é que escrever a ‘Broken One’ me ajudou a lidar com a dor e a ultrapassar um episódio menos positivo. Agora já só penso no álbum que espero lançar no início do próximo ano”, revela.

Enquanto essa estreia em grande não acontece, há “Broken One” para ouvir e para nos relembrar a todos que o amor é mesmo a maior de todas as inspirações. Mesmo quando não corre bem há sempre algo de positivo a retirar de cada história: “esta música ajudou-me a seguir em frente”, garante Kate Mirson. E há mais uma caixa recheada de letras que o futuro há-de revelar. Este “Broken One” é apenas o primeiro capítulo de uma história que se adivinha longa.